O presidente do Sport, Yuri Romão,  ao lado do vice-presidente jurídico do clube, Rodrigo Guedes, deu sequência à agenda de reuniões importantes para tratar da violência em dias de jogos futebol, em Brasília. O roteiro de conversas começou  num encontro com o Secretário Nacional de Segurança, Mário Sarubbo,  em seguida com o Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Og Fernandes.

Com Sarubbo,  a conversa girou em torno da segurança pública, já que os fatos ocorridos em dias de jogos de futebol acontecem foram do palco esportivo.  “Os clubes não possuem o poder da Polícia ou um departamento de inteligência para coibir as ações que vêm acontecendo. Não é papel dos clubes”, disse Yuri.

Já com Og Fernandes, a troca de ideias foi sobre Estatuto do Torcedor e Lei Geral do Esporte. Mesma pauta do encontro com o Ministro dos Esportes, André Fufuca, que contou com a participação do deputado federal, Felipe Carreras.  “Discutimos se não é o caso de revisar as leis, modernizá-las. É preciso que haja punições severas. Essas pessoas não podem ser tratadas como torcedores. Falamos também sobre a possibilidade de se criar uma frente com a participação dos presidentes dos clubes para discutir o que pode ser feito para aumentar a segurança do torcedor e das delegações nos estádios”, Romão.

Felipe Carreras revelou que foi sugerido ao ministro André Fufuca a criação de um projeto com urgência constitucional para instituir uma nova lei desportiva no país. “O intuito é punir e banir esses marginais disfarçados de torcedores que afastam as famílias dos estádios”, declarou.

O giro de reuniões terminou na última quarta-feira, quando Yuri Romão teve encontro bastante proveitoso com o presidente da Frente Parlamentar de Modernização do Futebol, Eduardo Bandeira de Mello.

Na próxima terça-feira, dia 12, o STJD vai julgar se concede ou não uma liminar ao Sport para que o clube volte a ter torcedores nos jogos do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste.