Por Marcelo Cavalcante

Ecoou forte o Cazá Cazá na Arena de Pernambuco. E em todo o Estado. Sob a emoção da conquista do Bicampeonato Pernambucano, o torcedor rubro-negro soltou seu grito intenso, saindo da alma, apaixonado, verdadeiro… Foi assim que a torcida se comportou durante toda a disputa do Estadual e foi premiada neste sábado (6) com o título. Conquistado com a peculiaridade do Leão da Ilha: a raça. Contra o Náutico, em dois jogos, o Sport fez valer a tradição de conquistas. Venceu o primeiro duelo, na casa do adversário, por 2×0. No segundo, os guerreiros rubro-negros entraram em campo com a seriedade e a determinação de quem precisava da vitória. Ela não veio, é verdade. Muitas chances perdidas, bolas na trave e no travessão deixaram o grito de gol entalado na garganta. Mas o 0x0 não diminuiu a festa da torcida. O Sport conquista o 44º título estadual da sua história. Em Pernambuco, ninguém mais taça do que o Leão. Motivo de orgulho para a sua nação. Ainda mais pelo fato do Sport ter quebrado o recorde de público do moderno estádio de São Lourenço da Mata, que pertencia a ele mesmo.

A temporada começou com a dúvida pairando na mente dos exigentes torcedores rubro-negros. Como toda reformulação de elenco no início da temporada, muitos jogadores deixaram o clube, enquanto outros  chegaram. A transformação foi feita sob o comando do argentino Mariano Soso, outra novidade. Sem fazer alarde, Soso trabalhou muito. Estudou o futebol pernambucano, respirou a atmosfera do Sport, sentiu na pele a pujança da torcida e foi implementando a sua filosofia de jogo. Fazendo todo mundo jogar, o comandante argentino ganhou a confiança e admiração do elenco. Em cada partida do Estadual, quem entrava em campo dava o seu melhor. Leões em campo. E o Sport, que começou titubeando pela falta de entrosamento, foi crescendo pela vontade de todos em levantar mais uma taça. Cada partida uma batalha. A disputa da bola era em cada centímetro de campo. E o suor encharcando a camisa. O Leão lutador do jeito que a torcida queria.

Na primeira fase, o Sport terminou líder. Assim, avançou direto para as semifinais, quando encarou o Santa Cruz. No primeiro jogo, no Arruda, empate em 1×1. Com belo gol de falta do lateral Felipinho. No segundo confronto, o Sport dominou completamente o adversário, criou várias chances de gols. Mas o placar ficou no 0x0. A classificação veio nas emocionantes cobranças de pênaltis. A decisão contra o Náutico foi eletrizante e o Sport mostrou sua força. Na primeira partida, jogou na casa do adversário sem a presença da sua torcida e não temeu. O Sport de Soso foi melhor em campo e com gols do capitão Rafael Thyere e Gustavo Coutinho, venceu por 2×0 e abriu boa vantagem. No segundo duelo, mais um recorde de público na Arena de Pernambuco. O Leão manteve o seu futebol competitivo para celebrar o título após empate sem gols.

É faixa no peito, taça na mão. O Leão foi supremo. Por fazer melhor campanha, conquista o bicampeonato de forma merecida, justa. Deixa o torcedor em êxtase e com o orgulho de dizer: Sport que emociona, Sport que a gente ama!

Campanha do Bicampeonato:

1ª fase

13/03 – Petrolina 0 x 1 Sport
17/01 – Sport 2 x 4 Retro FC
20/01 – Sport 2 x 1 Santa Cruz
25/01 – Maguary 0 x 1 Sport
29/01 – Sport 2 x 0 Afogados
01/02 – Flamengo 0 x 3 Sport
06/02 – Sport 4 x 1 Central
17/02 – Sport 1 x 0 Porto
24/02 – Náutico 1 x 0 Sport.

Semifinais

09/03 – Santa Cruz 1 x 1 Sport
16/03 – Sport 0 (5) x 0 (3) Santa Cruz.

Finais

30/03 – Náutico 0 x 2 Sport
06/04 – Sport x Náutico

8 vitórias 2 empates e 2 derrotas
19 gols marcados e 8 gols sofridos.

Elenco Bicampeão Pernambucano 2024

Goleiros

Caíque França
Thiago Couto
Jordan
Dênis.

Laterais

Pedro Lima
Lucas Ramon
Roberto Rosales
Riquelme
Felipinho.

Zagueiros

Rafael Thyere
Luciano Castán
Nassom
Renzo
Alisson Cassiano

Volantes

Felipe
Fabrício Domingues
Fabinho
Fábio Matheus
Pedro Martins
Ítalo
Lucas André

Meias

Alan Ruiz
Lucas Lima
Pedro Vilhena.

Atacante

Gustavo Coutinho
Romarinho
Crystian Barletta
Zé Roberto
Christian Ortiz
Arthur Caike
Pablo Dyego.

Comissão Técnica
Técnico: Mariano Soso.
Assistentes: Diego Bujan, Daniel Morales, César Lucena.
Preparadores físicos: Juan Manoel Lopez, Leandro Duda e Júlio Lima.
Preparador de goleiros: Robinson Puebla e Romero Júnior.
Coordenador de performance: Anselmo Sbragia.
Supervisor de futebol: Gilberto Lima.
Fisiologista: Inaldo Freire.
Nutricionista: Camila Simonek e Selma Pirajá.
Analistas de desempenho: Thiago Alves e João Elias.
Analista de mercado: Odair Dal Malin.
Fisioterapeutas: Alysson Cavalcanti, Vinícius Monteiro e Diego Bervani.
Médicos: Rodrigo Perez, André Gomes, Renato Lima e Marcelo Torres.
Enfermeira: Cristiane Santos.
Psicóloga: Rosângela Vieira.
Massagistas: Mema e Fernando.
Roupeiro: Alberto Silva.
Serviços gerais: Washington.
Segurança: Marcelo Lima e Luiz Claudio.

Comitê Gestor de futebol: Guilherme Falcão, João Marcelo Barros e Raphael Campos.

Presidente: Yuri Romão.