Na Ilha do Retiro, nos anos 80, havia um País.  Para o torcedor Sport, não significava que o estádio era um continente. Mas existia a certeza que, em baixo das traves, havia um porto seguro com camisa de mangas longas e luvas surradas. Era País José de Oliveira, um dos goleiros mais emblemáticos da história do Leão. Vestindo a camisa rubro-negra, foi tricampeão, em 80, 81 e 82. País era titular absoluto e representava bem a raça rubro-negra.

País foi revelado pelo América-RJ  em 1974, quando tinha 21 anos. Após uma rápida passagem pelo Santos, foi contratado pelo Sport, que vivia uma crise no inicio da temporada de 80. Seguro, ganhou a posição de titular. E conquistou o coração da torcida pelo seu jeito enérgico de atuar. Estava sempre atento, orientando a torcida e, mesmo solitário na sua área, comemorava cada gol do Sport como se ele tivesse balançado as redes.

A torcida gostava tanto dele que não se irritava quando se envolvia em confusão, como numa decisão de turno contra o Santa Cruz, em 1983, e nem quando cometia falhas, como num jogo contra o Flamengo em 1982, que resultou no gol de Leandro (o Sport venceu por 2×1, numa partida bastante polêmica).

Na sua carreira, chegou a marcar um gol pelo Leão. Cobrou o pênalti que garantiu a vitória do Leão, sobre o Santo Amaro, por 2×1, em agosto de 1980. País atuou pelo Sport até 1984. Foram, no total, 224 jogos com a camisa do Leão.

Colaboração: Nivaldo Machado/Sport em  Números