O Sport Club do Recife foi eleito o segundo time mais inclusivo do Brasil, de acordo com premiação realizada pela Conafut (Conferência Nacional de Futebol). O evento ocorreu no fim de junho, em São Paulo, e levou em consideração votação do júri, participantes da edição e especialistas.

A premiação, conforme detalhado pela Conafut, “reconhece os clubes que promoveram mais e melhores ações com enfoque em diversidade e inclusão”. Algo que reverencia o importante trabalho que o Clube tem desenvolvido ao longo dos últimos meses em torno do assunto.

No segundo semestre de 2021, o Clube instituiu a vice-presidência de inclusão e diversidade, sob a liderança de Roberta Negrini – algo inédito na história do Sport -, o que desencadeou uma série de ações voltadas ao tema.

Como por exemplo a capacitação junto a funcionários do Clube e realização de eventos em prol da inclusão e diversidade, como o Ilha Plural e o Dia Das Mães no Leão. Neste período, o Sport também implementou gratuidade para Pessoas Com Deficiência (PCDs) nos jogos e acertou a chegada da clínica Somar – referência no tratamento de autismo – para o complexo da Ilha do Retiro, além de desenvolver ações de conscientização para o enfrentamento da violência contra a mulher, o racismo e a lgbtfobia.

As iniciativas, aliás, envolveram campanhas nas redes sociais, lançamentos de camisas alusivas aos temas e articulações com o poder público local e entidades da sociedade civil. No início deste ano, inclusive, a vice-presidência de inclusão e diversidade passou a contar também com Gil do Vigor como um dos diretores – compõem ainda o departamento Gabriel Augusto, Mariana Miranda e Helena Germana.

“É muito gratificante o reconhecimento de estar entre os três clubes com mais ações afirmativas de diversidade e inclusão no futebol brasileiro. Entendo que temos margem para fazer ainda mais, mas os nossos passos dados até aqui nos orgulha, motiva e mostra que estamos no caminho certo”, afirmou Roberta Negrini, que palestrou no evento.