O Sport Club do Recife aproveita para reforçar o enfrentamento às violências nesta quarta-feira (17), quando é comemorado o Dia Internacional de Combate à LGBTfobia. Na ocasião, inclusive, o Leão enfrenta o São Paulo, na Ilha do Retiro, e reitera nos seus meios de comunicação medidas educativas e preventivas a esta forma de discriminação.

Faz parte das missões do Sport, enquanto instituição centenária, promover um ambiente de respeito à diversidade humana e valorização da cultura de paz. Assim, combater as violências – como o racismo, a LGBTfobia e o machismo – está entre as atribuições da vice-presidência de inclusão e diversidade, sob a liderança de Roberta Negrini.

“Neste 17 de Maio, Dia Internacional de combate à LGBTfobia, reforçamos que o Sport tem buscado atuar de maneira preventiva neste combate, promovendo durante os últimos anos campanhas educativas, formações com profissionais do Clube, afixação de cartazes disponibilizados pelos órgãos do estado, entre outras ações”, destacou Roberta.

O Sport pontua, entretanto, que, apesar dos esforços, nem sempre é possível evitar que atos discriminatórios sejam praticados no estádio durante os jogos. Desta forma, afirma que aciona, sempre que possui conhecimento de algum episódio de LGBTfobia, a lei estadual 17.522/2021, que estabelece penalidades administrativas e multas para esse tipo de conduta.

“Por duas vezes, em razão de cânticos preconceituosos, foi necessário acionar as autoridades do estado, comunicando a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e a Secretaria de Defesa Social, para que tomassem as providências cabíveis. Não importa se tais ações venham da torcida adversária ou de nossa própria torcida: é dever do Sport comunicar às autoridades e o Clube tem cumprido este papel”, concluiu a vice-presidente de inclusão e diversidade.

Em parceria com o Coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQ+, fundada por Onã Rudá, o Clube vai promover curso de atualização para lidar com a população LGBTQIA+. O Sport também vai receber, no próximo mês de junho, os Jogos do Orgulho do Recife, promovido pela prefeitura, que tem como objetivo inserir a comunidade LGBTQIAP+ em uma competição de caráter socioesportivo. Nesta quarta (17), o Cazá Cazá será puxado por um torcedor LGBTQIA+.

Qualquer denúncia sobre casos de LGBTfobia, aliás, pode ser feita através do Conecta Recife, plataforma disponibilizada pela prefeitura, clicando aqui.