Mesmo experiente, com passagens em grandes clubes da Europa e disputa de Copa do Mundo pela Seleção Brasileira, o meia-atacante Michel Bastos, de 34 anos, ainda encontra espaço para fatos inéditos na carreira, agora com a camisa rubro-negra.

Nesta segunda-feira (28), na inauguração do “Sport Viva Esta Experiência”, o jogador concedeu a sua primeira coletiva à imprensa numa ação em um Shopping.

No RioMar, o Leão inaugurou um ambiente vermelho e preto, que reúne desde exposição de parte do arcevo do Clube, a áreas para a prática esportiva e lounge destinado aos torcedores que quiserem se associar.

Confira os temas abordados na entrevista do camisa 9 leonino:

Ação “Sport Viva Esta Experiência”

Acho que essas ações são muito importantes. Sinceramente é a primeira vez que eu faço uma coletiva dentro de um shopping. Acho que isso é legal para o torcedor poder conhecer mais da história do clube. Para mim, por exemplo, que estou chegando agora e estou tendo a oportunidade de conhecer mais. E isso também faz com que o torcedor venha, se associe. Desde a minha chegada eu me coloquei à disposição em ajudar o Sport a trazer o torcedor para se associar, estar estádio, acho que isso é importante, pois os jogos em casa vão ser importantes para a gente. Nós sabemos que o incentivo dos torcedores e a Ilha lotada vão nos ajudar, nos dar confiança, e essa ação só engrandece esse relacionamento.

Confiança da equipe após vitória contra o Palmeiras

Sempre é bom ganhar, mas o mais importante agora é ter os pés no chão. Acho que o campeonato começou agora, estamos bem, numa crescente muito boa, mas sempre com os pés no chão, sabendo que as coisas podem mudar rapidamente. Temos que ter consciência que ainda não fizemos nada, mesmo felizes pelo bom momento. O objetivo do Sport é fazer um grande Campeonato Brasileiro, é sempre bom começar bem e esperamos terminar bem também.

Ficar de fora do duelo no Allianz Parque

É difícil, escolhi o Sport porque queria jogar, pois no Palmeiras eu não vinha jogando. Então você ficar de fora de uma partida dessa é difícil, ainda mais da forma que foi o jogo, você vendo o Magrão pegar um pênalti nos últimos segundos, a euforia do próprio treinador, dos jogadores, e você não poder comemorar com eles lá é difícil. Mas agora estou à disposição. Quarta tem uma partida onde eu vou estar apto a ajudar, e isso é bom também.

Bom início do Sport na Série A

Quando cheguei muitos falavam que eu estava indo para um clube que brigaria para não cair. Eu sinceramente vim porque confio na qualidade do time e hoje se vê isso. Além disso, o Sport está buscando se qualificar mais ainda, e a gente vai trabalhar, dar o melhor, para colocar o Sport na melhor classificação possível. Com certeza a gente sabe que o grupo tem qualidade pra fazer um grande Brasileiro.

Condição física atual

Tive essa semana para trabalhar forte fisicamente, os treinamentos foram de um período, mas eu acabei complementando com mais um período alguns dias, para poder evoluir mais. Hoje com certeza não sei se consigo jogar os noventa, mas um tempo ou pouco mais com certeza eu consigo. Agora fica a critério do treinador. Com certeza o pessoal da preparação física deve ter passado para ele que tenho muito mais condições de jogar. Então temos ainda alguns treinos e vamos saber se vou estar em campo ou não. Se não tiver estarei à disposição para entrar no decorrer da partida.

Meta antes da Copa

Acho que você se manter na primeira parte da tabela já é um objetivo. Lógico que a gente conversa entre a gente, mas como sempre falo, a gente não projetou posição na tabela. Nós sabemos que o ideal é estar nas primeiras colocações, mas acho que ir para essa parada da Copa do Mundo com a equipe estando na primeira parte da tabela já é muito bom para nossa equipe.

Atlético/MG

Acho que mesmo com o fato de eles não ganharem nas últimas duas rodadas não tira a qualidade da equipe. A gente tem que respeitar a equipe do Atlético, sabe que vai ser um jogo muito difícil. Conheço bem a equipe deles, joguei com alguns jogadores, como o Roger Guedes, ano passado, que vem bem no Brasileiro. Mas não só eles como outros jogadores de qualidade. O professor vai nos passar alguma coisa, mostrar vídeos do adversário, mas mesmo assim a gente sabe que vai ser um jogo difícil.

Ilha do Retiro como diferencial

Acho que o fator casa é sempre importante, e sempre é difícil para os adversários jogar na Ilha. Já tive oportunidade de jogar contra e sei o quanto é complicado. Então a gente tem que aproveitar isso. Estamos vivendo um bom momento fora, e fazendo da mesma forma em casa. O Sport sempre foi forte na Ilha e temos que manter isso. Quanto mais pontos a gente conseguir dentro de casa, a gente sabe que vai ser o ideal. Vamos aproveitar essa fase fora e pontuar o máximo possível.