Notadamente prejudicado pela arbitragem e pelo VAR, algo inclusive que deixou de ser novidade desde o retorno à elite do futebol nacional, o Sport mais uma vez teve que jogar contra adversários invisíveis e acabou sendo superado pela boa equipe do América Mineiro, que aproveitou-se das situações do jogo e venceu na Arena Pernambuco pelo o placar de 3 a 2. O duelo, válido pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, fez o Rubro-Negro cair uma posição e ficar em 18º. Os gols leoninos na noite desta quarta-feira [10] foram marcados por Mikael e José Welison.

Com um a menos desde desde os 25 minutos da primeira etapa, o Leão foi valente, lutou, teve superação, empatou após perder parcialmente por 2 a 0 com inferioridade numérica, mas no final não conseguiu resistir e acabou mesmo derrotado, com o gol da vitória dos mineiros saindo já na reta final de jogo.

Bastante convicto na importância e decisão do confronto, os baques que o Sport teve que lidar foram grandes conforme os minutos iam passando. Primeiro, com o gol do América-MG, no primeiro arremate dos visitantes que foi à meta. Em seguida, com um possível pênalti, em que o defensor interceptou cruzamento de Moccelin com o braço e o VAR nem sequer checou. Mesmo VAR que apareceria logo em seguida, distorcendo uma disputa em que Gustavo primeiro toca a bola e depois faz a falta, chocando com o pé do adversário. Vendo em câmera lenta e em imagem que apenas mostrava o último ato da dividida, na parte do contato, o árbitro acabaria expulsando o meia-atacante.

A série de acontecimentos negativos tiveram sequência já no início do segundo tempo. Mesmo com um a menos, o Sport voltou pressionando, impôs bom ritmo e criava chances. Numa jogada rápida, no entanto, o América-MG ampliou em chute quase que do meio-campo. Ainda feroz e com o grito da torcida que não parou de apoiar, o Leão, mesmo ferido, não desistiu. Diminuiu com Mikael, que outra vez mostrou todo o seu talento e homenageou, com gol, o centenário do eterno Ademir Menezes. E empatou com José Welison, que acertou linda cobrança de falta e fez a Arena explodir.

Time guerreiro e disposto a superar todos os baques que o duelo vinha causando, o Sport acabou sucumbindo no fim. Desgastado, o Leão sofreu o terceiro gol em um momento que a torcida, presente na quantidade de 5.441 vozes, sonhava com a virada que parecia real. Cruzamento na área e quique fatal, que traiu o movimento de Maílson, aparentemente inteiro no lance. Sem tempo e nem mais força para reagir a um último pesado golpe, um resultado final injusto pela luta, esforço e principalmente pela forma que o jogo e a esportividade de competir acabou sendo tirados na marra desde o início.

Próxima partida do Sport será diante do Ceará, domingo, às 19h, em confronto regional.