O Sport estreou um novo capitão, no clássico contra o Santa Cruz, na rodada de fechamento da primeira fase do Pernambucano. Com apenas nove jogos com a camisa rubro-negra, o zagueiro Ortiz herdou a braçadeira que vinha sendo carregada por Anselmo, desfalque na partida.

Uma surpresa para muitos e para o próprio jogador, de apenas 22 anos. “Foi uma emoção muito grande. Com 22 anos estar sendo capitão de um time grande como o Sport. Foi uma surpresa quando fiquei sabendo e ao mesmo tempo uma felicidade imensa por saber que muitos jogadores importantes na história do Sport já usaram essa braçadeira”, revelou.

Papel de líder que o mesmo já havia exercido nas categorias de base do Internacional, onde também foi capitão. “Acho que um capitão do Sport tem que ser vibrante, estar cobrando os companheiros, sempre com respeito, claro. Mas pilhando sempre, chamando a atenção para estar ligado e ser guerreiro. Essa é a alma do Sport”, falou.

Decisão

O zagueiro leonino falou também sobre o duelo das quartas de finais do Pernambucano, diante do próprio Santa, novamente na Ilha, em jogo único. “É uma partida onde não se pode errar. Tivemos um erro e foi fatal para o empate deles. Acho que tivemos um bom ritmo, e temos que acertar esses erros, já que teremos uma semana de descanso. Vamos lutar para nos impor em casa de novo, como fizemos, e aproveitar as oportunidades”, afirmou.