Com muito pesar, o Sport Club do Recife lamenta o falecimento do ex-zagueiro Aílton. Defensor que marcou geração pelo nosso Clube e que está eternizado, com 323 jogos oficiais e 350 realizados ao todo, defendendo nossa bandeira sempre com grandiosa atuação, garra e fibra. Muito técnico apesar de ser um beque, o zagueiro encantava todo o país e recentemente havia sido escolhido pela torcida como nome titular presente na Seleção do Sport de todos os tempos. Aos 65 anos, ele não resistiu a um infarto. Clube decretou luto oficial por três dias e bandeira está à meio mastro na sede do Leão.

Aílton esteve na Ilha do Retiro nas temporadas de 1981, 1982, 1986, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992. Foi campeão seis vezes, incluindo o título brasileiro da Série B, em 1990. Um ano antes, foi dele o gol que levou o Leão à grande final da Copa do Brasil de 1989. Marcar gol, inclusive, era algo que ele sabia fazer, mesmo sendo um atleta de defesa. Em 28 momentos diferentes, Aílton fez a nossa nação explodir de alegria.

Assim como tantos outros que fizeram história no Sport, Aílton é filho da nossa região. Chegou do modesto Itabaiana para de tornar gigante. Morava atualmente em Sergipe, seu estado natal, e antes da pandemia causada pela Covid-19, o Clube planejava uma homenagem presencial ao ex-jogador. Algo que não pôde acontecer, mas que simboliza a importância de dar valor constantemente aos nossos ídolos e a quem fez o escudo carregado no nosso peito ainda mais tradicional e maior.

Obrigado Aílton!