Em rodada antecipada do Campeonato Pernambucano, um Clássico das Multidões cheio de nuances na Ilha do Retiro. Primeiro por ser das multidões e não ter público, devido a decreto estadual. Segundo pelas tantas situações que aconteceram dentro dos 90 minutos. Em cima, o Sport criou e perdeu muitas oportunidades. Quando enfim abriu o placar, acabou levando uma virada inesperada. No fim, com persistência de Leão, o time rubro-negro chegou ao empate. Resultado de 2 a 2, após o último apito da árbitra da partida. Os gols rubro-negros foram marcados por Luciano Juba e Rodrigão, que balançou as redes pela primeira vez com a nossa camisa.

Na primeira etapa, o Sport chegou a ter cerca de 80% de posse de bola. Trabalhando o tempo inteiro no campo ofensivo e praticamente não dando chances do rival assustar. Dentro dessa dinâmica de controle, as chances claras, contudo, não foram tantas. As duas maiores caíram no pé do Búfalo Parraguez. O centroavante chileno participou, lutou, mas acabou não encontrando o caminho das redes. Assim sendo, o 0x0 até então bem injusto persistia no placar.

O segundo tempo foi mais contundente. O Leão continuava controlando, mas acelerava com mais vigor. Obrigava o goleiro do Santa Cruz a fazer defesas difíceis, em alguns casos aquelas que merecem até a alcunha que mais salda um goleiro: a do milagre. Protagonista até então, o arqueiro adversário enfim foi vencido aos 20 minutos, quando depois de uma boa jogada, Luciano Juba, com a destra, que não é a sua perna boa, achou o espaço no cantinho da trave direita. Uma tacada de sinuca, um bonito gol. O merecimento da vitória parcial do Sport ainda era lembrado e mencionado, quando cinco minutos depois o Santa Cruz empatou.

Um baque que foi sentido. Depois de tanto dominar, criar, perder chances. Abrir o placar e levar o empate de forma inesperada logo em seguida fez claramente o ritmo rubro-negro cair. O Santa Cruz conseguiu reter a bola como não havia feito em nenhuma parte do confronto. E acabou virando a partida justamente nesse período de tempo, aos 43. A festa do rival, que esteve por baixo o tempo inteiro e achou dois gols na rara vez que equilibrou o clássico, foi cessada logo em seguida. Reação rápida com dois personagens que haviam entrado no decorrer do segundo tempo. Cruzamento de Paulinho, cabeçada certeira de Rodrigão. 2×2 aos 47 minutos e sem tempo para mais nada, em um fim de jogo agitado.

Calendário: O Sport voltará a campo na próxima quinta-feira, dia 24, contra o Botafogo-PB, pela Copa do Nordeste, novamente na Ilha. Será, depois de muito tempo, o duelo com maior espaço temporal para a equipe descansar e conseguir treinar.

Sport 2×2 Santa Cruz: Maílson; Ezequiel [Fábio Alemão], Rafael Thyere, Chico, Sander; William Oliveira, Blas Cáceres, Everton Felipe; Jáderson [Rodrigão], Luciano Juba [Paulinho], Búfalo Parraguez [Pedro Naressi].

Gols: todos na segunda etapa. Luciano Juba, aos 20 e Rodrigão, aos 47, para o Sport. Tarcísio, aos 25 e Rafael Furtado, aos 43, para o Santa Cruz.