Historicamente tradicional, o Futsal do Sport voltou com tudo no ano de 2019. Forte e imponente, o Leão levou a Taça logo na sua primeira competição oficial após um tempo inativo, que foi a conquista da Copa Tronadon. Erguer troféus, por sinal, não é novidade para Thiago Zanatha, reforço de peso que o Clube buscou para alcançar um bem-sucedido retorno.

Natural de Goiana, na Região Metropolitana do Recife, Zanatha coleciona grande sucesso no futsal estadual. Extremamente vencedor, o ala é pentacampeão pernambucano, além de contar com diversas outras conquistas em Copas regionais e locais. Hoje com 33 anos, ele recebeu o convite do Sport com muita empolgação, depois de já ter passado no clube em outras duas passagens.

“Surgiu a oportunidade de voltar através do Vanildo Neto (técnico do time adulto), estive com ele no ano passado e ele teve esse interesse em trabalharmos juntos novamente. Eu não pensei duas vezes, Clube grande, de massa, bandeira forte, aceitei o convite de cara”.

Reconhecido por todos que acompanham o Futsal pernambucano e nordestino, o ala também falou um pouco de sua carreira. E do desejo de ser Campeão Pernambucano pelo Sport.

“Começo foi duro. Iniciar no mundo da bola, principalmente no futsal, é bem complicado. Saímos do interior, há a dificuldade de ter acesso na capital. Mas fui ganhando respeito, moral através do bom trabalho, as portas abriram e hoje eu sou privilegiado em ter vários Títulos e equipes na carreira. Inclusive agora, estando no Sport. Espero esse ano conquistar o Pernambucano pelo Clube”.

Á vontade para falar ao Site Oficial rubro-negro, Zanatha respondeu algumas questões que muitos guardam curiosidade acerca da sua carreira. O fato de nunca ter jogado na Seleção e se já tentou jogar em campo. Sobre o último ponto, ele até brincou e confidenciou: já tentou. E no Sport.

“Fiz testes, até aqui mesmo no Sport. Mas eu era pequeno demais, na verdade continuo sendo, e isso acabou prejudicando. Fiquei no futsal mesmo e foi a escolha mais certa. Sobre a Seleção, muitos questionam, falam disso de nunca ter saído do Nordeste, acredito que exista alguma razão nisso. Conheço outros atletas que foram para outras regiões, exterior, e logo foram chamados. Mas tenho uma carreira sólida, vencedora, não me sinto frustrado”.

Se posicionando sobre o futsal pernambucano e os projetos do Sport em ter um retorno vitorioso, Zanatha se colocou totalmente à disposição em ajudar o elenco leonino, que é integrado a um robusto grupo jovem, de jogadores ainda sub-20.

“O futsal de Pernambuco passou um tempo bastante abaixo em relação a outros estados. Mas de dois, três anos para cá, demos uma melhorada muito grande. Tanto no profissional, como também na base. A tendência é crescer ainda mais, principalmente agora, com a volta de grandes times, como o Sport. Aqui tem muitos meninos bons, com bastante projeção. Esses garotos puderem ter a chance de jogar conosco,  ganhar cancha, ainda mais em um Clube desse tamanho, só tendem a crescer. Essa mescla que o Clube fez foi muito inteligente”.