Visando integrar definitivamente o futsal do Clube com as categorias de base, o Sport iniciou, há cerca de duas semanas, o projeto para fazer com que o seu tradicional e sempre forte futsal faça parte da formação de atletas no Rubro-Negro. A ideia, que já está saindo do papel de forma prática, conta inclusive com uma obra inédita que está sendo feita no Campo Auxiliar, que se tornará um “CT na Ilha” e terá um novo campo adicional, para abrigar times nas categorias Sub-7, Sub-9, Sub-11 e Sub-13. O viés da integração também visa que os atletas de campo dessas faixa-etárias continuem, dentro de um cronograma específico, treinando e disputando competições também na quadra, em um visor de estimulo com calma até a transição definitiva, que ocorre na categoria Sub-17.

Em fase de ajustes finais na modelagem de todo o projeto, já é definido que as comissões técnicas das categorias citadas acima serão, por sinal, oriundas do futsal e interligadas entre elas. Times ainda em fase de iniciação na vida esportiva, como os de futsal Sub-7, Sub-9, Sub-10 e Sub-13 irão realizar treinamentos no campo, com um quantitativo de ao menos uma vez durante a semana para os de 7 a 9 anos, e um maior, para os de 10 a 13. Um estímulo definitivo, como explica, de forma geral, Felipe China, que faz parte da coordenação da integração com Nathan Figueiredo.

“Os meninos vão para o campo se acostumar desde cedo ao peso da bola, ao tipo de jogo em grama, que é diferente do de quadra. Tudo isso seguindo uma lógica, com comportamentos e lógicas em comum sendo trabalhados. Respeitaremos também as progressões do espaço e é por isso que estamos, com a chancela do Presidente Milton Bivar, reformando o campo auxiliar e fazendo um espaço de treinamento menor. Com balizas menores, respeitando justamente o processo de naturalidade que exige em casos de crianças de uma faixa-etária ainda inicial na vida esportiva.”

É importante mencionar que apesar da integração se tornar bem vívida dentro de toda a metodologia de trabalho com a categoria de base, as competições de futsal continuarão a acontecer, com o Sport participando normalmente, sendo uma das potências nacionais em categorias menores. E foi justamente por isso que se deu a idealização do projeto. Atualmente, o Leão conta com inúmeros casos de craques do futsal do Clube que acabaram não sendo oportunizados por faltar esse elo de aproximação. Casos, apenas como gancho recente, como os dos atacantes Kaio Jorge e Matheus Cunha, jogadores hoje já destacados mundialmente.

“O mais importante é que observaremos o Sub-7 até o Sub-13 como departamento de base. Uma iniciação ao futebol. Uma subdivisão do departamento, com quadra e campo juntos, sem mais a diferença entre os departamentos de Futsal e de Base. Será a mesma coisa, com as crianças tendo os conteúdos de treino mutuamente. Algo alinhado também com o Henrique Coelho, que é o coordenador do nosso Futsal. Há um documento orientador no futsal e há um documento de orientador na base, e agora trabalharemos metodologicamente na criação de um só que reunirá o modelo de ambos juntos”, reiterou Felipe China.

Sub-7 ao Sub-20

Com a incorporação do futsal, o departamento de base que hoje conta 150 atletas dobrará de tamanho, passando a dispor de 300. Um aumento quantitativo que também significa uma maior retenção nos talentos da região dentro do Maior do Nordeste.

Estes 300 atletas terão acesso a reconhecida estrutura do Leão, uma das maiores e melhores do país e uma referência regional, que, como no caso do Campo Auxiliar, passará por mais melhorias ainda. A missão, de acordo com o Vice-presidente de base, Tiago Petribu, é além de formar futuros atletas, também prepará-los na vida como cidadãos, tendo o Sport, com toda sua grandeza, essa natural  obrigação social.